Amigos do Rogers

8 de julho de 2012

'Manicômio' é fruto de uma obsessão

O livro Manicômio não poderia ter um título mais adequado. Além das questões estéticas, formais e conteudísticas que explicam o livro, há uma outra questão, mais particular: a feitura/escrita/concepção do livro, que foi escrito num momento especial da minha vida, um momento de descobertas: dos 19 ao 23 anos. Muitos contos foram escritos quando eu morava numa casa onde dividia quarto com meus dois irmãos e um primo (até hoje não sei como consegui escrever os meus melhores textos nessa situação, num quarto em que havia apenas um espaço para uma pessoa passar...). Clarissa, por exemplo, foi escrito à luz de velas (num dia em que a energia da minha casa estava cortada). A última revolta de Jesus Cristo foi descaradamente inspirado numa frase que um amigo (Danilo Santana) sempre dizia: que Jesus deveria ter morrido pelas baleias. Aproveitei a frase e criei o que é um dos meus contos mais polêmicos. Outro fato interessante da feitura de Manicômio é que, mesmo 24 horas sem comer e com um pc emprestado, lá estava eu escrevendo o projeto da lei de incentivo à cultura. Enfim, Manicômio é fruto de uma obsessão (que puxei a meu pai, minha mãe e meus irmãos...).

Abaixo, a boneca do livro, que será publicado em breve, muito breve: