Amigos do Rogers

25 de janeiro de 2014

Desconhecidos

Converso com desconhecidos. Bebo com desconhecidos. Faço várias coisas com desconhecidos. Já dependi e me surpreendi com desconhecidos. Desconhecidos já fizeram favores que alguns conhecidos nunca fizeram ou fariam pra mim. Já fiz amigos e colegas que um dia foram desconhecidos. Já viajei na expectativa de conhecer desconhecidos. Em Teresina-PI, durante uma semana fui tratado como rei por "desconhecidos", com os quais bebi, fiz churrasco, ri, conversei, filosofei - falamos de Deus e do mundo. Fiquei encantado com uma senhora (desconhecida), de 78 anos, evangélica, que era exímia contadora de estórias: ela tinha uma memória e um senso crítico impressionantes. Sejam desconhecidos novos ou velhos, pelo sorriso e pelos olhos é possível sondar alguns desígnios do seu coração. Basta ter algo que pouca gente possui: isso. Não desconfio tanto das pessoas. Não sou como a maioria dessa gente de hoje, que desconfia da própria sombra e não vive, com medo de tudo, à espera de flores medrosas mas bonitas nascerem no asfalto. Em breve elas estarão nos seus túmulos.